CCEE demonstra que energia fotovoltaica cresce 14,5% em agosto

O consumo de energia elétrica no Brasil em agosto avançou 3,4% ante o mesmo período 2020, com impulso do crescimento no mercado livre, informou nesta sexta-feira a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

As usinas fotovoltaicas ligadas ao Sistema Interligado Nacional (SIN) tiveram um aumento significativo e cresceram 14,5% na primeira quinzena de agosto, em comparação ao mesmo período de 2020. Isso significa um aumento de 741 megawatts médios (MWmed) para 848 MWmed.

Além das usinas solares, as usinas térmicas também apresentaram um crescimento bem grande, de 109,7%, e as eólicas cresceram 6,5%. Foi relatado que o montante de energia elétrica importada foi de 508,74 MWmed.

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) acredita que o grande crescimento da energia termelétrica está relacionado com a Energia Natural Afluente (ENA), que alcançou o pior índice histórico no SIN desde abril de 2021. Isso causa um efeito direto na redução da geração hidráulica e, logo, um aumento da térmica.

Segundo a entidade, o mercado regulado teria registrado uma alta de 1% caso não houvesse a instalação de sistemas de micro e mini produção solar fotovoltaica nas residências e pequenos comércios do país. Em relação a 2019, o aumento seria de 0,9% nessas mesmas condições.

A CCEE também anunciou que todas as fontes de energia somaram 63.286 MWmed na quinzena de agosto, o que resulta em um aumento de 1,1% em relação ao período analisado em 2020.

Fonte: Reuters

Compartilhe!

Escreva seu comentário.