Ontem o segmento solar e eólico brasileiro foi duramente atingido pela MP nº 998

Ontem o segmento solar e eólico brasileiro foi duramente atingido pela MP nº 998, uma verdadeira hecatombe de proporções nucleares atingiu o segmento das energias limpas no Brasil.
Isso mesmo, o Governo Brasileiro retirou incentivos ao crescimento da geração de energia por fontes solar e eólica, para aumentar os incentivos na geração de energia atômica, priorizando na agenda energética nacional o empreendimento Angra 3, pasmem.
E não ficou só por aí, também diminuiu os recursos utilizados nos projetos de pesquisa, desenvolvimento e eficiência energética, transferindo-os para a Conta de Desenvolvimento Energético, a famosa CDE, que este ano vai torrar literalmente R$ 20,1 bilhões com incentivos a geração de energia através de termelétricas a gás, óleo e carvão mineral.
A MP está sendo apelidada de “MP do Consumidor”, será que é mesmo! Eu apelidaria de outra forma, mas não vou proceder em virtude de risco de bullying.
Os “notáveis” do ME e MME mas uma vez colocaram as unhas de fora.

“Indo na contramão da revolução energética que campeia em todo o Planeta.
Publicarei ainda esta semana artigo completo tratando deste assunto”.

Daniel Lima - Diretor RDSOL
Daniel Lima – Diretor RDSOL
Presidente | Associação Nordestina de Energia Solar- ANESOLAR

Compartilhe!