“O Sol não será taxado”, voltou a declarar o presidente Jair Bolsonaro no sábado (29), durante inauguração de uma usina de energia fotovoltaica no município de Caldas Novas (GO). O evento contou com a presença do ministro de Minas e Energia, Bento Gonçalves, do governador Ronaldo Caiado e o diretor da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), Efrain Cruz.

Em janeiro, o presidente já havia dito que, após conversas com a cúpula do Congresso, a “taxação” sobre a atividade estava “sepultada”. “Vocês devem se lembrar, há pouco tempo, de uma campanha na internet ‘Não á taxação do Sol’. Quem estava decidindo isso era a ANEEL, e as agências são independentes, as suas decisões têm que ser cumpridas. E por lá passa tudo que tenha a ver com a energia elétrica. Eu procurei o presidente da Câmara e falei que, caso a ANEEL viesse taxar o Sol eu não poderia fazer nada como presidente, mas a Câmara poderia, juntamente com o Senado, via projeto, anular, revogar a decisão da ANEEL e tive o apoio do presidente da Câmara naquele momento”, disse Bolsonaro durante o evento.

Presidente apoia a energia solar no Brasil

Bolsonaro passou a se posicionar com mais firmeza sobre o assunto depois que a ANEEL apresentou a proposta de revisão da REN 482 (Resolução Normativa n.º 482/2012) no fim de outubro do ano passado.

Bateria à base de nióbio

Ainda durante o evento, o presidente destacou o uso do nióbio para produções industriais e defendeu que o elemento é analisado para a produção de uma “super bateria”. “O nióbio está em fase final de estudos em alguns países, juntamente com o grafeno, onde teremos a super bateria. Em primeira fase, ela poderá ser recarregada em poucos minutos. No futuro, em poucos segundos”, declarou Bolsonaro.

O presidente ainda destacou que com a implantação da usina solar pelo grupo turístico pode se tornar, em um futuro próximo, um posto de abastecimento de veículos. “As possibilidades para o Brasil são inúmeras”, ressaltou Bolsonaro.

Maior usina solar urbana do país

A usina abastecerá empreendimentos turísticos do Grupo diRoma

A usina, com potência de 5,6 MWp, foi construída com recursos privados e pertence ao grupo Di Roma, que possui um complexo turístico na cidade goiana, cujo principal atrativo são as águas termais. A planta possui 16.578 módulos fotovoltaicos, ocupando 3.220 m² em sistema de cobertura do tipo garagem, 3.800 m² em telhados e 75.000 m² em solo.

Segundo o Grupo diRoma, o projeto vai atender os empreendimentos voltados para o turismo que a empresa mantém na cidade. “Na conta, a economia [do grupo com energia elétrica] chegará a 85%”, estima a empresária Magda Mofatto Hon, fundadora do Grupo di Roma.

FONTE: https://canalsolar.com.br/noticias/item/912-o-sol-nao-sera-taxado-afirma-bolsonaro-durante-inauguracao-de-usina-solar-em-caldas-novas-go?fbclid=IwAR1rYCagrNIPbF32gdCySz4gvEX_wN_pMg6Y0u1jbJcjrPTBHHft05wH7Hc

Compartilhe!